fbpx

O que é e como tratar a Alopecia X em cães

Pets e idosos: conheça os benefícios dessa relação
Pets e idosos: conheça os benefícios dessa relação
29 setembro, 2020
Cuidados com cachorro na piscina
Cachorro na piscina? Confira os cuidados com o pet!
30 outubro, 2020
O que é e como tratar a Alopecia X em cães

Nem sempre as doenças de pele em cães causam coceiras, feridas e mal-estar. Esse é o caso da Alopecia X, uma doença genética não inflamatória que causa a perda de pelo localizada nos pets. 

Com a causa ainda desconhecida pelos médicos veterinários, a Alopecia X é duas vezes mais comum em machos do que em fêmeas. Além disso, algumas raças apresentam predisposição para a doença, como o Spitz Alemão, também conhecido como Lulu da Pomerânia, Husky, Samoieda, Poodle e o Chow Chow.

Sintomas e diagnóstico da Alopecia X 

Normalmente, essa patologia começa a se manifestar entre os 2 e 6 anos de idade do animal. O que diferencia a Alopecia X de outras doenças de pele é o que o seu único sintoma é a queda de pelo localizada. Por não causar inflamação, o pet não apresenta coceira e nem feridas na região. Para a confirmação, é necessário o descarte de outras doenças e uma biópsia da pele do cão.

Pets com Alopecia X apresentam queda de pelo principalmente na região das coxas, períneo e pescoço. Além disso, a pelagem nessas áreas se torna cada vez mais frágil e pode adquirir uma coloração mais escura do que o normal.

Tratamento

Por ser uma doença genética, a Alopecia X não tem cura, porém, os tratamentos apresentam boa eficácia, principalmente após a castração, no caso de machos não castrados.

Com o uso de medicamentos orais, que podem variar de caso para caso, os pelos geralmente voltam a crescer entre 4 e 6 meses após o início do tratamento. 

Cuidados especiais

A pelagem canina vai muito além da estética. Ela funciona como uma proteção natural do sol e do frio, ajudando o pet a regular a temperatura e evitando que as camadas mais finais fiquem expostas à radiação dos raios solares, o que pode, em alguns casos, causar queimaduras e câncer de pele.

Por isso, se seu pet está em fase de tratamento ou diagnóstico, é importantíssimo redobrar os cuidados. Hidratação, use de produtos hipoalergênicos e evitar passeios ao ar livre são fundamentais para não piorar o caso.

Na dúvida, consulte um de nossos veterinários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *