fbpx

FIV: tudo sobre essa doença felina

O que levar em conta antes de adotar um cachorro?
O que levar em conta antes de adotar um cachorro?
29 setembro, 2020
Pets e idosos: conheça os benefícios dessa relação
Pets e idosos: conheça os benefícios dessa relação
29 setembro, 2020
FIV: tudo sobre essa doença felina

A FIV é uma das doenças mais graves que podem acometer os felinos. Conhecida também como AIDS Felina, por ser causada por um vírus da mesma família do agente causador do HIV em humanos, a FIV causa uma imunodeficiência nos pets, podendo ser fatal em muitos casos, principalmente por suas complicações. Mas não se preocupe, FIV e HIV são completamente diferentes, e as doenças não podem ser transmitidas de gatos para humanos ou vice e versa. 

A transmissão entre os gatos ocorre por meio do contato com a saliva e sangue contaminados, bem como de mães para filhotes via transplacentária ou durante a amamentação. Essa doença acaba sendo mais comum em gatos machos de rua, já que a contaminação é frequente em brigas, mordidas e arranhões entre os animais. Por isso, ao resgatar um gatinho, é importantíssimo fazer um exame antes de colocá-lo em contato com outros pets.

Sintomas e tratamento da FIV

A FIV é uma patologia difícil de ser identificada, já que existem vários estágios e cada gato pode apresentar diferentes reações, incluindo períodos assintomáticos. Os piores sintomas ocorrem na fase aguda, e incluem falta de apetite, febre, perda de peso e aumento dos nódulos linfáticos. Por comprometer o sistema imunológico, doenças secundárias começam a se tornar comum, como gengivoestomatite crônica, doenças oculares e alterações neurológicas. Por isso, se seu gatinho fica doente com frequência, não descarte a hipótese de FIV antes de realizar exames.

A FIV não tem cura, porém, quando detectada no início, os pets têm boas chances de reagir bem ao tratamento. Medicamentos controlados, ração especial, cuidados com a higiene e consultas regulares ajudam a manter a qualidade de vida dos gatinhos.

Os gatos contaminados com a FIV podem conviver com outros felinos, já que a transmissão não ocorre por meio de comedouros ou objetos. Mas nesses casos, os cuidados com as brigas e com a caixa de areia devem ser redobrados. 

Prevenção

Não existe uma vacina contra a FIV, por isso, a principal maneira de prevenção é evitando que o gato saia de casa e acabe se envolvendo em brigas. A castração é a maneira mais eficiente de controlar a situação, já que o cio é um dos principais motivos de fuga de gatos. 

A castração ajuda a manter o animal mais calmo, principalmente nessa época, quando machos e fêmeas tendem a dar uma escapadinha a procura de um parceiro, e podem acabar se envolvendo em brigas. Além disso, a castração de fêmeas com FIV impede que a doença seja transmitida para filhotes.

Ficou com alguma dúvida? Agende uma consulta e converse com um de nossos veterinários!

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *