fbpx

Esporotricose: conheça essa doença comum em gatos

O que é o pedigree de um cachorro?
O que é o pedigree de um cachorro?
15 dezembro, 2020
Micoplasmose felina: anemia causada pela pulga
Micoplasmose felina: anemia causada pela pulga
25 janeiro, 2021
Esporotricose: conheça essa doença comum em gatos

A esporotricose, também conhecida como doença do jardineiro, é classificada como uma zoonose: pode atingir tanto animais quanto humanos. Porém, nos gatos com acesso a jardins e áreas externas, ela é relativamente mais comum, principalmente em países de clima tropical, como é o caso do Brasil.

Essa doença se manifesta na forma de uma micose subcutânea, e é causada pelo fungo Sporothrix schenckii. Quando o animal tem um corte ou ferida em alguma parte do corpo, ou então se machuca com galhos e espinhos contaminados, o fungo aproveita para se instalar na ferida, podendo até atingir os ossos em casos mais graves e sem tratamento.

Por ser um fungo presente na natureza, na grama, casca de árvores e plantas, gatos com acesso às áreas externas estão mais propensos à contaminação. Além disso, se seu pet for contaminado e acabar te arranhando ou mordendo, você também pode adquirir a doença. Mas não se preocupe, a esporotricose não é tão grave em humanos e em cachorros e pode ser facilmente curada com a ajuda de um dermatologista ou médico veterinário. 

Sintomas da esporotricose

O principal sintoma da doença é a presença de feridas que não cicatrizam. Porém, a esporotricose pode se apresentar em formas distintas:

  • Forma cutânea: é caracterizada por um nódulo avermelhado, às vezes com secreções que lembram feridas causadas por brigas, sendo mais comum na face, no plano nasal, na base da cauda e nas pernas. Podem ser únicas ou várias, dependendo da fase em que se encontra.
  • Forma linfocutânea: ocorre quando os nódulos cutâneos evoluem para úlceras com secreção. Nessa fase, podem atingir o sistema linfático do gato.
  • Forma disseminada: esse é o estágio mais grave da doença. Neste, é possível encontrar diversas lesões no pet, além de apatia, febre, anorexia e alteração na respiração.

Tratamento e prevenção 

Quanto mais cedo for o diagnóstico da esporotricose, mais fácil será o tratamento. Na maioria dos casos, o gato será tratado com antifúngicos em forma de pomada local. 

A principal maneira de evitar a doença é controlando os espaços que seu pet tem acesso. Gatos de apartamento dificilmente vão contrair a esporotricose, já que é uma doença causada por fungos da natureza. 

Se você notar qualquer mudança na pelagem ou no comportamento do seu gato, procure um veterinário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *