fbpx

Dicas para cuidar de um filhote de cachorro

Como acostumar dois gatos juntos
Como acostumar dois gatos juntos
30 novembro, 2020
Fases da vida do cachorro! Em qual seu pet está?
Fases da vida do cachorro! Em qual seu pet está?
30 novembro, 2020
Dicas para cuidar de um filhote de cachorro

Entre os amantes de animais, é difícil encontrar alguém que não se derreta por um filhote de cachorro. Gordinhos, brincalhões e muito fofinhos, os filhotinhos ganham o coração dos tutores logo nos primeiros contatos. 

Ter um cachorrinho em casa significa muita brincadeira e diversão, mas também muita responsabilidade, atenção e paciência. Se você está pensando em aumentar a sua família com um filhote, confira nossas dicas!

Vacinas e vermífugos

Geralmente, o calendário de vacinação para os filhotes de cachorros começa com 45 dias, com a administração da vacina múltipla V8 ou V10. Essas vacinas são de extrema importância, pois protegem o filhote de doenças fatais e que podem ser transmitidas para os humanos, como a parvovirose, cinomose, leptospirose, hepatite canina entre outras.

A vacina antirrábica, contra a raiva, pode ser feita a partir da 12ª semana de vida, e deve ser reforçada anualmente em todos os cães. Por ser uma das mais importantes, costuma ser oferecida gratuitamente em campanhas municipais de vacinação. 

Outras vacinas também são indicadas para manter o seu cão saudável, confira:

  • V12 – Além das doenças contempladas na V8 e V10, protege contra sete tipos de leptospirose. É indicada a partir da 6ª semana;
  • Gripe Canina – Protege o animal contra a gripe e deve ser reforçada anualmente antes do inverno. Pode ser administrada a partir da 8ª semana;
  • Giárdia – Protege o cão contra o parasita causador da Giardíase, uma infecção gastrointestinal. É recomendada a partir da 12ª semana;
  • Leishmaniose – Essa doença é transmitida por um mosquito e também pode afetar os seres humanos. É de extrema importância para cães que vivem no litoral, no Nordeste ou no Centro Oeste do país, áreas com maiores taxas de contaminação. Pode ser administrada a partir da 16ª semana. 

Também é de extrema importância que seu pet não tenha contato com animais desconhecidos ou acesso à rua antes de completar todo o calendário de vacinas. Isso evita possíveis contágios por objetos ou cães contaminados.

Preparando sua casa para receber o filhote

Antes de tudo, você precisa organizar a sua casa para receber o cãozinho. 

  • Não deixe objetos tóxicos, como produtos de limpeza ou que possam machucar o animal, em locais acessíveis. 
  • Tire do alcance dele tudo o que possa quebrar ou estragar.
  • Organize o espaço em que o animal ficará: cama ou casinha, comedouros e brinquedos. Deste modo, ele se acostumará mais rápido a ter o seu espaço e se sentirá mais seguro.

É muito importante que o filhote tenha um espaço só dele, inclusive se tiver outro cachorro na casa. Cachorros são animais territorialistas por natureza, e gostam de sentir que têm o controle sobre o local. 

Os primeiros dias

Se você já teve um filhotinho em casa, sabe que o choro durante a noite pode ser um dos maiores problemas. 

A principal razão do choro é a separação da mãe e dos irmãos. Se o filhote foi separado muito cedo, antes das sete semanas de vida, ele pode enfrentar dificuldades para comer e estabelecer relações com outros animais. Nesses casos, a adaptação a uma nova casa se torna mais lenta e complicada. Por isso, antes de adotar um pet, respeite o tempo de separação natural da mãe, que ocorre a partir dos dois meses. 

Se esse não é o caso do seu filhote, existem outros motivos pelos quais ele pode estar chorando:

  • Solidão
  • Fome ou sede
  • Frio
  • Desconforto no novo ambiente
  • Energia acumulada
  • Querendo atenção

É importante identificar a causa do choro, e depois solucionar o problema o mais rápido possível para que a noite possa ser tranquila, para tutor e cãozinho.

  • Mantenha o filhote quentinho, com almofadas e cobertores
  • Não deixe a caminha ou casinha do cachorrinho em locais frios, úmidos ou descobertos
  • Deixe um objeto com o seu cheiro perto dele: uma blusa, uma meia ou até um travesseiro
  • Ofereça brinquedos adequados à idade do seu pet: bichinhos de pelúcia e mordedores molinhos podem ajudá-lo a se distrair
  • Exercite-o durante o dia, com brincadeiras e caminhadas 

Quando ouvimos um cachorrinho chorar, é normal querermos protegê-lo, mas colocá-lo na sua cama, sofá ou até mesmo no colo pode ser um caminho sem volta. O pet associará aquilo como uma recompensa pelo choro, e desacostumá-lo depois será bem mais difícil.

Alimentação

As rações para filhotes de cachorros têm nutrientes específicos para a idade, além da mastigação facilitada para os dentes de leite. Eles também precisam comer mais vezes durante o dia do que um cão adulto. O indicado é oferecer quatro porções de ração nos primeiros seis meses, e ir diminuindo gradativamente.  

Evite oferecer outros alimentos, principalmente leite. Apesar de ser uma tradição popularizada por filmes e desenhos, oferecer leite a um filhote de cachorro pode causar dor de barriga e vômito. 

Se seu filhote estiver com dificuldades para comer, consulte um veterinário. Existem diversas opções de rações úmidas e papinhas que podem ser oferecidas.

Brincadeiras

Filhotes de cachorros têm muita energia, e para evitar que fiquem acordados durante a noite é essencial gastá-la com brincadeiras!

Os mais novinhos gostam de mastigar e destruir coisas. Por isso, brinquedos de borracha ou corda são ideais nessa fase. Se ele for de pequeno porte, escolha objetos menores, que podem ser carregados e mastigados com facilidade.

Fique atento a brinquedos muito pequenos, com partes que podem ser engolidas, ou feitos de materiais que podem quebrar e acabar machucando a boca do animal. Brinquedos muitos duros podem inclusive quebrar os dentes de leite do filhote.

Educando o filhote de cachorro

É fundamental ter em mente que, ao adotar um filhote de cachorro, você precisa estar disposto a gastar tempo e energia na educação e treinamento. Fazer xixi no lugar certo, não subir no sofá, não roer calçados e móveis são comportamentos que podem ser ensinados, mas precisam de paciência e atenção contínua do tutor.

Em qualquer situação, o ideal é educar por meio do reforço positivo, já que a bronca não exerce tanta influência no cachorro. Todas as vezes que seu pet fizer xixi no lugar certo, por exemplo, recompense-o com petiscos ou brincadeiras. Assim, ele vai associar a prática a um bom momento.

Consulte nosso blog para mais dicas para tutores de cães!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *