fbpx

Como acostumar gato e bebê? Confira essas dicas!

tudo sobre leptospirose
Leptospirose: saiba tudo sobre essa doença em pets
3 julho, 2020
Pets idosos: aprenda a identificar os sinais das principais doenças
Pets idosos: aprenda a identificar os sinais das principais doenças
3 agosto, 2020
como acostumar gato e bebê

A chegada de um bebê muda a rotina de todos na casa, inclusive do pet. Um novo membro pode fazer com que o gato se sinta deixado de lado, deixando-o ansioso, deprimido ou até desencadeando comportamentos agressivos em relação aos tutores. 

Para que tudo ocorra bem nessa fase tão especial, confira essas dicas para acostumar gato e bebê juntos:

Comece a adaptação aos poucos

Algumas mudanças na casa são inevitáveis com a chegada do bebê, e prever quais delas podem afetar seu gato é fundamental para evitar transformações repentinas que possam causar estresse.

Se seu gatinho dorme com você no quarto, por exemplo, comece a treiná-lo o quanto antes para dormir em outro local. As mudanças gradativas são menos impactantes e não deixam que o pet associe a chegada do bebê com coisas ruins, como a perda de espaço ou carinho. Isso vale para o local da caixa de areia, brinquedos, comedouros, arranhadores e acesso aos cômodos da casa.

Cheque o calendário de vacinas

É importante lembrar que gatos saudáveis não transmitem doenças para os humanos. Porém, devido ao convívio com o bebê, é fundamental manter as vacinas e a vermifugação do seu pet em dia. Assim, os dois podem frequentar os mesmos ambientes sem problemas.

Quando o bebê chegar

O choro e a movimentação de mais pessoas na casa podem afetar muito a rotina do seu gato, mas isso não quer dizer que ele não vá se adaptar.

Para acostumar gato e bebê, alguns comportamentos por parte dos pais são essenciais, principalmente a naturalidade e associação do bebê com coisas boas.

É normal que o gato tenha curiosidade e tente chegar perto do bebê, afinal, são animais territorialistas e podem sentir que estão perdendo espaço. Nesses casos, nunca repreenda o animal com gritos, tapas e broncas. Essa aproximação deve ser feita com calma, cuidado e sempre supervisionada pelos tutores. Se o animal for repreendido toda vez que tentar chegar perto do bebê, vai acabar associando-o com coisas ruins.

Para gatos mais apegados aos tutores, que gostam de ficar no colo e de receber carinho, a perda de contato pode afetar muito. Para evitar que seu gatinho seja deixado completamente de lado, invista em momentos em que os dois possam estar juntos (bebê e gato), por exemplo na sala de televisão ou na hora das refeições na cozinha. Os benefícios do convívio com animais de estimação para as crianças são diversos!

Mas sempre esteja perto e nunca deixe os dois sozinhos sem supervisão. Mesmo acidentalmente, o gato pode acabar machucando o bebê.

Confira também: Como acostumar o cachorro com o bebê da casa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *