fbpx

Alimentos tóxicos para cães e gatos

tudo sobre sarna canina
Sarna canina: tudo o que você precisa saber sobre essa doença
3 abril, 2020
cachorros parecidos
Qual é a raça? Conheça alguns cachorros muito parecidos!
30 abril, 2020
alimentos tóxicos para cães e gatos

 Animais de estimação são curiosos por natureza e, mesmo com os cuidados constantes do tutor, podem acabar ingerindo alimentos que são maléficos para a saúde. Se você tem um pet em casa, confira quais são os alimentos tóxicos para cães e gatos e o que fazer caso eles os ingiram.

Chocolate e doces

O chocolate contém uma substância chamada teobromina, um estimulante venenoso para os cães e gatos, que funciona de forma semelhante à cafeína. Mesmo pequenas doses podem afetar o sistema nervoso central, o coração e os rins do seu bichinho. Entre os sintomas de envenenamento estão a diarreia, vômitos, tremores, hiperatividade e, em casos mais graves, convulsões. É um dos alimentos mais tóxicos para cães e gatos.

Já os doces, por serem ricos em açúcar, podem tornar os pets diabéticos e obesos, além de serem responsáveis pela formação de tártaro, cáries e até pela perda dos dentes do pet.

Produtos com cafeína

Os cães são mais sensíveis aos efeitos da cafeína do que os seres humanos. Os sintomas de envenenamento são semelhantes aos ocasionados pelo consumo de chocolate.

Leite

Por conter açúcar, o leite não é adequado aos cães pelos mesmos motivos que os doces não são. O consumo da substância pode provocar diarreia, vômitos e outros problemas intestinais.

Por mais que a imagem de um gato bebendo uma vasilha de leite seja muito popular, o leite pode fazer muito mal aos bichinhos. Isso porque a lactose, proteína encontrada do leite de vaca, não é processada pelo organismo do animal, podendo causar problemas gastrointestinais como diarreia e vômitos.

Batata e tomate

A batata é rica em solanina, uma substância que pode causar depressão no sistema nervoso central e distúrbios gastrointestinais no animal. Já o tomate contém glicoalcalóides, que são tóxicos para cães.

Abacate

O sistema digestivo dos cachorros não processa muito bem a gordura vegetal, por este motivo, o abacate não é uma fruta recomendada a eles. Outro problema é que o abacate contém em suas células o idioblasto, uma toxina solúvel em óleo; em alguns casos, a ingestão desta toxina em grande quantidade pode provocar inflamação das glândulas mamárias e até insuficiência cardíaca.

Frituras e alimentos gordurosos

Batata frita, pizzas, queijos e demais itens da nossa alimentação causam um desarranjo intestinal no sistema digestivo deles, podendo desencadear uma pancreatite, inflamação do pâncreas, que pode ocasionar a morte do animal.

Cebola e alho

Se você tem o costume de oferecer comida humana para seu gatinhos, precisa ficar atento aos temperos: a cebola e o alho, muito comuns na nossa alimentação, podem causar anemia nos bichinhos. Isso porque contêm substâncias chamada dissulfeto de alipropila e alicina, que destroem os glóbulos vermelhos dos felinos.

A recomendação é que os pets sejam alimentados com uma ração própria, justamente para evitar que eles acabem ingerindo alimentos tóxicos.

Espinha de peixe e ossos

A ingestão de restos de comidas tóxicas é uma das principais causas de morte entre os gatos e cães domésticos. Muitas vezes, eles acabam ingerindo partes de ossos ou espinhas que podem causar asfixia ou até perfuração gastrointestinal.

A ingestão de ossos animais ainda pode aumentar a concentração de cálcio no sangue, ocasionando problemas nos rins e aumento da concentração do mineral na urina.

Azeitona

Esse é outro ingrediente muito presente na culinária que pode fazer mal aos gatinhos. A azeitona é rica em sódio, o que pode causar hipertensão e problemas renais a longo prazo nos animais.

O que fazer?

Caso você identifique os sintomas de intoxicação no seu cão ou gato, o ideal é levá-lo ao veterinário o quanto antes. Não tente eliminar a substância tóxica fazendo ele vomitar, por exemplo. A intenção pode ser boa, mas um procedimento feito por um leigo pode agravar o quadro.

No consultório, o veterinário, após identificar o tipo de intoxicação, provavelmente realizará uma lavagem gástrica no animal. É importante lembrar que quanto mais cedo o pet for atendido, maiores são as chances de sobrevivência.

A melhor maneira de prevenir que seu pet se intoxique é tratá-lo como se fosse uma criança: se ele ficar dentro de casa, certifique-se de que todas as substâncias prejudiciais estão guardadas em locais aos quais ele não terá acesso e não deixe que ele brinque em áreas de armazenamento desses produtos, como depósitos e lavanderia.

Conheça também alguns medicamentos comuns entre pessoas que podem ser tóxicos para o seu pet.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *