fbpx

10 mitos e verdades sobre castração

Insuficiência renal em gatos
Insuficiência renal em gatos: o que você precisa saber
1 setembro, 2020
FeLV: conheça a leucemia felina
FeLV: conheça a leucemia felina
1 setembro, 2020
10 mitos e verdades sobre a castração

A decisão de castrar um cão ou gato não é fácil. Muitos tutores ficam receosos, com medo da cirurgia ou de alguma complicação na saúde do pet, além do custo da operação. Mas a castração também é considerada um ato de amor, já que previne doenças e evita ninhadas inesperadas, o que, infelizmente, pode acabar resultando no abandono de filhotes.

Além disso, a castração de cães e gatos é cercada de dúvidas! Para te ajudar a sanar todas as perguntas e tomar a melhor decisão, confira 10 mitos e verdades sobre a castração!

  1. Previne alguns tipos de câncer

VERDADE! A neoplasia é o desenvolvimento anormal das mamas a glândulas mamárias das cadelas, que pode evoluir para um câncer em casos mais graves. Essa anomalia é causada pela produção excessiva de hormônios, e geralmente atinge fêmeas com mais de oito anos de idade. Na castração, o útero e os ovários são completamente removidos, parando a produção de estrogênio e progesterona, evitando o aparecimento da neoplasia. 

Assim como as fêmeas, machos com mais de oito anos de idade estão mais propensos a desenvolver tumores na próstata e nos testículos. Parando a produção de hormônio, essas chances caem consideravelmente. 

  1. Deixa o animal mais gordo

MITO! A castração não faz o animal engordar. O que acontece em alguns casos é que o gato ou cachorro fica mais calmo, e por isso, passa e se movimentar menos, podendo ganhar peso ao longo dos anos. Além disso, algumas raças são mais propensas ao acúmulo de gordura quando mais velhas. Uma alimentação equilibrada e uma rotina de exercícios diários ajudam a prevenir a obesidade e outras doenças, como a diabetes

  1. Tira as características do sexo do animal

MITO! Mesmo quando realizada antes da puberdade, a castração não elimina as características do sexo do animal. Machos e fêmeas possuem comportamentos diferentes, o que acontece é que, com a falta de hormônios sexuais, os animais acabam ficando mais calmos e dóceis, mas isso não significa que perderam suas características. 

  1. Deixa o macho menos territorialista

VERDADE! Uma das maiores queixas dos tutores de cães machos é a quantidade de xixi e a necessidade de marcação de território, dentro e fora de casa. Essa característica também é instintiva, causada pela produção de hormônios sexuais. A castração não diminui a quantidade de urina, mas sim a necessidade do territorialismo, fazendo com que o animal não tenha vontade ou o instinto de fazer xixi por toda a sua casa e objetos pessoais!

Aproveite e confira algumas dicas para ensinar seu cachorro a fazer xixi no lugar certo!

  1. Deixa os machos menos agressivos

VERDADE! Naturalmente, a produção de testosterona deixa os machos mais agressivos, principalmente quando ainda são jovens, e estão com os hormônios à flor da pele. Castrar diminui as chances de seu cachorro se envolver em brigas com outros animais, ou até mesmo de pular nas pernas das visitas por conta de instintos sexuais.

  1. Preciso esperar minha gata/cadela ter o primeiro cio

MITO! Se o procedimento for realizado antes dos seis meses, o risco da fêmea desenvolver a neoplasia cai em 91%! Além disso, o fato de entrar no cio e não gerar filhotes pode desenvolver uma gravidez psicológica nas fêmeas. Essa doença pode causar infecções uterinas e mamárias, complicando a saúde do animal. Quando o animal é castrado, isso não acontece, pelo simples motivo que a sua cachorrinha ou gatinha não terá mais cios!

  1. É bom cruzar a fêmea pelo menos uma vez antes de castrar 

MITO! Apesar de ser muito divulgado, esse é um dos maiores mitos em relação a castração de fêmeas. Como citamos acima, o cio pode trazer diversas complicações para gatas e cadelas, e consequentemente, a gravidez também. Durante o cio e até mesmo após o nascimento da ninhada, o animal pode sofrer com mastite, quando o leite empedra nas mamas, e piometra, uma grave infecção uterina que pode levar à morte. Isso sem falar dos filhotes que não conseguem um novo lar, e que podem acabar abandonados em ruas e abrigos. 

  1. A castração é um procedimento de risco

MITO! A cirurgia de castração é muito simples, tanto para machos quanto para fêmeas, e leva em torno de 30 minutos. Mas como todo procedimento cirúrgico, precisa de cuidados antes e depois. Jejum, pomadas cicatrizantes, evitar exercícios, alimentação adequada e o uso de roupas pós-cirúrgicas estão entre alguns cuidados que o tutor deve ter com o cão ou gato. Além disso, é normal que a recuperação das fêmeas seja um pouco mais demorada, já que a cirurgia é um pouco maior e com mais pontos na região da barriga. 

  1. A castração diminui as tentativas de fuga

VERDADE! O cio é uma das principais causas de fugas de cães e gatos. A castração ajuda a manter o animal mais calmo, principalmente nessa época, quando machos e fêmeas tendem a dar uma escapadinha a procura de um parceiro. 

  1. Pets adultos não podem ser castrados 

MITO! A castração não é um procedimento exclusivo de filhotes. Porém, cães e gatos de mais idade podem sofrer um pouco mais na recuperação. O ideal é conversar com o veterinário sobre os riscos da cirurgia para o animal. 

Ficou com mais alguma dúvida sobre os mitos e verdades sobre castração? Converse com um de nossos veterinários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *